Por Que Devemos Apoiar a Grécia

A propósito da Concentração Stop Austeridade – Apoio à Grécia – Mudança na Europa (Lisboa, 19h, Largo Camões), e no dia em que a Praça Syntagma recebeu mais uma manifestação gigantesca (ver foto) contra a austeridade, publicamos a tradução do artigo do Nick Dearden de dia 19, no Global Justice Now, a explicar que o que está em causa nestes dias é a dignidade de todos os povos e o nosso compromisso com a esperança e o futuro.

11010499_500871526744776_8045103968168422585_n

Ao lutar contra a austeridade mais brutal na Europa, o povo grego está a travar uma batalha épica pelo futuro da democracia europeia, e merece o apoio de todos os ativistas anti-pobreza.

Eleito há menos de seis meses, o governo anti-austeridade do Syiza continua a enfrentar a ira profunda dos líderes europeus. Vilipendiado e atacado, tanto por políticos como pelos media, o «crime» do Syriza é representar os direitos e a dignidade do povo grego, em vez dos interesses financeiros e empresariais que, normalmente, põem e dispõem das instâncias de decisão política europeias. É por isso que o Syriza mantém a popularidade, e é também por isso que as instituições europeias estão tão furiosas.

A Grécia tem sido vítima de um dos exemplos mais brutais de austeridade dos últimos tempos, sofrendo na pele o desemprego em massa, o aumento acentuado das taxas de suicídio, assassinatos, infeções por VIH, depressão, abuso de drogas e gente sem-abrigo. Mas esta tremenda depressão podia ter sido evitada, se as vidas dos gregos tivessem sido postas à frente dos lucros dos bancos europeus.

A Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional (FMI) formaram uma Troika imperial, que suspendeu até a mais ínfima aparência de democracia, para impor políticas à Grécia — que falharam, até segundo os objetivos por elas próprias definidos. A dívida não diminuiu — antes disparou, quando a economia entrou em queda livre. Até o FMI começou a ter algumas dúvidas quanto o veneno que está administrar.

O verdadeiro motivo por trás destas políticas desumanas é simples — um resgate bancário de enormes proporções. Embora o povo grego não tenha feito absolutamente nada para causar a  crise financeira, é ele que está a pagar um preço brutal por os bancos europeus terem feitos empréstimos irresponsáveis ao país, alimentando as redes de corrupção e a militarização. A Jubilee Debt Campaign calcula que a Troika tenha emprestado ao governo grego duzentos e cinquenta e dois mil milhões de euros, a maioria dos quais serviu para resgatar bancos europeus, enquanto a dívida grega continuava a subir.

O atual governo grego é frequentemente apelidado de «extremista», por se recusar a manter ou aumentar a austeridade como condição para obter mais um empréstimo; empréstimo esse que servirá apenas para pagar à própria instituição que o concede.

Ninguém na Troika acredita que estas políticas ajudem a salvar a Grécia. Depois de 1945, aprendemos que só se pode ressuscitar um país com uma combinação de anulação das dívidas e crescimento. Foi assim que a Alemanha pode recuperar da guerra, graças às políticas racionais de países como a Grécia. Mas os atuais líderes europeus estão determinados em humilhar e derrotar um governo que está a colocar em causa todo o credo das políticas económicas contemporâneas. Que deus nos livre de a Grécia demonstrar que, afinal, existe mesmo uma alternativa!

É por isso que devemos apoiar a Grécia. Nos últimos cinco anos, o povo grego não sucumbiu à barbárie, apesar do crescimento de partidos neonazis como o Aurora Dourada. A verdade é que até são eles, os gregos, quem nos tem dado alguma esperança. Mesmo no seio da mais adversa das situações, tentaram manter a sociedade de pé através da organização coletiva, providenciando cuidados de saúde, educação e comida onde o Estado falhou. Toda esta organização foi um elemento fulcral para a eleição do Syriza.

Agora dotados de poder governamental, os movimentos sociais continuam a pôr em causa a lei da austeridade do mercado livre. Recentemente, lançaram uma auditoria à dívida pública para expor a verdade sobre a dívida ilegítima da Grécia e arrancar a máscara aos verdadeiros responsáveis pela crise.

Uma das perguntas mais frequentas sobre a «crise da dívida no terceiro mundo» nos anos oitenta e noventa é «por que é que os países pura e simplesmente não se recusaram a pagar?» Durante essas crises, também os países africanos, asiáticos e latino-americanos foram obrigados a adotar medidas profundas de austeridade e «ajustamento», para pagar o preço pela ação dos bancos e das elites corruptas e irresponsáveis. O resultado foi um sofrimento incalculável, em consequência da destruição de economias inteiras. E foi com base nesse sofrimento, na subjugação destes países, que a nossa economia global, a tal do «o mercado é que sabe», se construiu.

Hoje, a Grécia mostra-nos por que é que não houve mais países a recusar-se a pagar. A intimidação constante, os subornos e chantagem tornam-no praticamente impossível.

Mas não completamente impossível. Nenhum governo conseguirá resistir a tanta pressão sozinho. O Syriza mantém o apoio dos movimentos sociais que o sustentam; mas a Grécia também precisa da solidariedade internacional — a mesmo que devemos a todos os que, no passado, fizeram frente à finança internacional.

A Europa está numa encruzilhada. Vamos continuar a seguir esta via anti-democrática, onde setores cada vez maiores das nossas sociedades são vendidos ao desbarato, as desigualdades continuam a aumentar desalmadamente, a pobreza e o desemprego são considerados falhanços pessoais, e uma «vida boa» só se acha nos mercados? Ou vamos antes não esquecer a importância da ação e e do apoio coletivos, da igualdade e dos direitos humanos, e lutar por novas formas de democracia, que nos permitam explorar as nossas capacidades e assumir a tarefa monumental de salvar o nosso planeta?

A Grécia é esperança. É uma oportunidade das que só acontece uma vez em cada geração. Não a deixemos passar.

Anúncios

3 thoughts on “Por Que Devemos Apoiar a Grécia

  1. tTEMOS DE ESTAR PRESENTES TODOS NÓS PELOS GREGOS E POR NÓS MESMOS. fAZEMOS MANIFESTAÇÕES ESCREVEMOS PARA AS REDAÇÕES DOS JORNAIS, SEI LÁ ALGUMA COISA TEM DE SER FEITO , O TEMPO É CURTO.

    Gostar

  2. Publicado na minha página do facebook, procurando com quem….
    NINGUÉM ESTÁ NUMA DE FAZER UMA VIGÍLIA DE APOIO à GRÉCIA em frente a – Local à escolha ?????
    Já tenho uma palavra de ordem:
    VEMO-NOS GREG@S – COM ESTA EUROPA
    COM VELINHAS E BANDEIRAS NOITE FORA (uma coisa assim que as têbês gostam …..)
    Só não tenho companhia…..

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s